?

Log in

No account? Create an account

Previous 10

Finalmente em casa

Acordei com um pouco de dor de cabeça e com sentimento de despedida e felicidade por ir para casa ao mesmo tempo. Estranho isso. Arrumei minhas coisas e aos poucos fui me encaminhando para o aeroporto. Após um congestionamento básico perto do Ibirapuera (congestionamento sábado?), cheguei a congonhas. Um rápido web check-in, malas despachadas. Era hora das últimas ligações para agradecer a recepção de algumas pessoas (muito obrigado mesmo), segui para sala de embarque.
Congonhas é sempre a mesma coisa. O seu boarding pass diz que você deve embarcar no portão X, os monitores do aeroporto dizem que o embarque foi alterado para o portão Y e no fim você acaba embarcando num terceiro portão que nada tinha a ver com os primeiros. Viva a aviação brasileira!
O voo saiu dentro do horário, após a decolagem uma rápida e última visão da cidade de São Paulo. Como sempre, sentirei saudades desse lugar doido e frenético. E 1:30 depois eu já estáva com o sorriso nas orelhas por estar voltando para casa. Viajar é legal, se conheçe e se aprende muito. Mas voltar para casa é sempre bom. Principalmente porque não existem pessoas rindo do seu sotaque ou só porque você disse "bah"
Obviamente que a primeira coisa que fiz foi tomar uma térmica de chimarrão.

Ainda não sei o que vai acontecer agora com este blog. Não sei se vou continuar fazendo post regulares, ou se ele será desativado ficando apenas como registro de 2 semanas incríveis.

Último dia

O último dia em São José dos Campos começou cedo, por volta das 5:30 acordei, arrumei minhas malas e segui para São Paulo. Havia uma reunião marcada na Sun às 10:00. O mais incrivel foi que a reunião começou na hora marcada! Almoçamos no shopping Morumbi e após uma rápida conversa com o Thomaz no starbucks do shopping. Segui para o hotel e acompanhei pela globo news o pouso forçado do avião da United em Miami. Confesso que fiquei um pouco temeroso, pois faltavam menos de 24 horas para o meu voo de volta para Porto Alegre.

Mais um dia de curso e chuva

Eu realmente acho que não tenho mais paciência para ficar em uma sala de aula. Em uma das aulas de hoje fui vencido pelo sono, por sorte acordei logo. Ao final das aulas do dia fomos conhecer o LIT ( Laboratório de Integração e Testes), local aonde são montados e testados os satelites. Obviamente que fotos são expressamente proibidas. Durante a visita falou-se muito sobre voos tripulados, Marcos Pontes, acidente de Alcântara e por ai vai. Junto com a visita inicou-se um baita temporal que só foi parar na madrugada. So me restou ficar vendo o debate entre Hillary e Obama na Fox News.

The blackbox day

Hoje de volta a São Paulo para o "blackbox day" evento da Sun para apresentação da sua solução de datacenter virtual. O blackbox nada mais é do que um container cheio de servidores. Sim um container, daqueles de transportar coisas. Ok, foram feitas adaptações, mas a idéia é de uma solução como o nome mesmo diz, blackbox. Almocei com colegas da Sun e a tarde livre foi encerrada com um passeio e um cafe no starbucks do shopping Eldorado. Depois segui para São José dos Campos.





(no subject)

O dia começou atrasado já, perdi o café do hotel e corri para o INPE para início das atividades. São José dos Campos é uma cidade bem estranha. Cruzamentos sem muito sentido, uma rodovia cruzando a cidade... lembra muito Caxias do Sul. Mas na boa, Caxias tem mulheres mais bonitas.
O INPE fica afastado, é um centro de pesquisa que não fica atrás dos centros de primeiro mundo. Ninguém entra nem sai sem se identificar, abrir a mochila e ter o carro revistado. Fotos são proibidas, quer tentar? Você pode ser acusado de espionagem, assunto muito em voga nos dias de hoje em nosso país. Sem contar que volta e meia tu ve um militar fazendo ronda de arma em punho.
Encontrei com o Teófilo, ex-colega da UFRGS que agora trabalha no INPE. Consegui algumas dicas com relação aos ônibus para o centro da cidade.


Dia de transição

O dia começou com um passeio pela USP, a Rebeca me levou para conhecer os principais pontos da universidade. Já na chegada passamos por um cara treinando com uma specielized. Ouvi comentários de que bicicletas são um problema na USP, eles chegam a ter congestionamento de bikes. Fiquei imaginando como deve ser legal isso... Ao encontrar com algums alunos do curso de meteorologia, colegas da Rebeca rolou a clássica piadinha alusiva a cidade de Pelotas. Eu como bom gaucho não deixei por menos e retruquei falando sobre Campinas e o acho que o pessoal se ofendeu. Azar o deles...
Depois do almoço fui apresentado ao cluster do IAG/USP e me impressionei com a montagem. Depois disso segui para o aeroporto de Guarulhos para encontrar o Ricardo que estáva seguindo para Alemanha. Após algums chopp segui de ônibus para São José dos Campos. Descobri que hotel que havia reservado não era nada do que eu imaginava e logo eu já estava no taxi seguindo para o hotel Ibis (bem melhor)








E terminou

Terminou a campus party 2008. Agora é arrumar as tralhas, pegar o taxi e seguir para o hotel.
Sei-lá, nunca fui muito fã de despedidas, portanto é mais dar um tchau geral pra turma, anotar os e-mails e seguir o baile.
Aguardem novidades.

Último dia no Ibirapuera

O dia começou com um ar de despedida já, é o último dia da Campus Party. Muita gente já arrumou as malas e pegou o rumo das casa. Ainda existem algumas palestras interessantes, as 16:00 haverá uma palestra sobre cluster, mais cedo Augusto Daminelli um cara muito bom da física. Mas é aquela coisa, último dia é sempre igual.
Na hora do almoço fui a um restaurante aqui dentro do parque mesmo e depois dei uma caminhada pelo parque. Vi bikes circulando de tudo que era marca e modelo (trek, scoot, gts e por ai), fiquei lembrando da dificuldade que é comprar uma bike assim no RS. O parque no geral, lembra muito a redenção, so que obvio em escala muito maior.
Enfim, agora é procurar um hotel para passar o fim de semana e seguir para a segunda parte da viagem, São José dos Campos.

Mais palestras

A atração do programa da meia noite de hoje ficou por conta da turma do NetBeans. Primeiro uma palestra com o Fabio, embaixador da Sun. Na sequência falou o Wagner colaborador da NetBeans não satisfeisto com a palestra ele resolveu fazer um "hands on" sobre a plataforma.
Agora são 3:00am e está começando uma aula de Axé com uma turma da Bahia. Bom isso em nada me chama atenção, portanto é hora de ir para barraca dormir.










Mãe, mãe quando eu crescer quero ser astronauta

O dia foi marcado pela palestra de um cara baixinho que veio lá de Bauru. Esse baixinho que a primeira vista não chama atenção foi "simplesmente" o primeiro brasileiro a ir ao espaço, esse brasileiro chama-se Marcos Pontes. Ai você vai perguntar: "O que diabos um astronauta faz num evento geek?" olha tchê... ele fala de tecnologia. Alias tecnologia é uma das coisas que ele fala. O cara falou de física, quimica, astronomia, educação, civismo, guerra e por ai vai.
A palestra do cara durou cerca de 1 hora e eu so tenho uma coisa a dizer sobre ela, dinheiro nenhum no mundo pode pagar isso.










Previous 10